You are currently browsing the monthly archive for junho 2008.

Semestre no fim, hora de anotar algumas idéias aqui no blog. Estou satisfeita com o curso do 2o ano, ainda que saiba que tenho bons desafios no meu caminho até o fim do ano.

Uma prática interessante que temos feito no Vera Cruz é um trabalho de acompanhamento do curso  das outras série. Debatemos os currículo, os materiais, o tipo de demanda cognitiva das várias atividades propostas. 

Desde o ano passado estamos mais atentos às provas aplicadas nas outras séries. Nessa última, usamos uma reunião para mostrarmos aos colegas nossas avaliações antes de enviá-las para a gráfica, e tenho que afirmar que isso é muito importante. São olhares que nos ajudam a considerar a clareza dos enunciados, o grau de dificuldade das questões, a adequação dos textos escolhidos, o balanceamento dos temas, a variedade de habilidades requeridas na prova.  Quando a gente olha a prova dos outros, a nossa ganha uma dimensão mais clara, e os comentários ajudam muito a fechar a proposta de forma a enriquecer a atividade. Afinal, diz a  nossa coordenadora, Maria Lúcia Di Giovani, prova boa é aquela que a gente aprende com ela.

Estamos ficando afiados com essas conversas, procurando criar uma boa coesão entre as propostas de avaliação das três séries, e, entre outras coisas, tendo claro o que e como estamos avaliando.

Andei me perguntando sobre a utilidade e adequação de inserir as questões de minhas provas na rede. A quem seria útil? A outros professores? Aos alunos, para prepararem-se para outras avaliações? Opiniões?

Anúncios

Fiz esse post no Discurso Citado, e acho que preciso repeti-lo aqui.
Li nesses dias artigos excelente sobre o uso que o Obama fez da internet e dos recursos de mídia social até agora. Um deles é “The wiki-way to nomination”, escrito por Noam Cohen, articulista que tem escrito bastante sobre tecnologias e sociedade no New York Times.
Comparado aos fenômenos das “start up” da internet, falou-se muito sobre o Obama: bom artigo de Marc Ambinder, “HisSpace“, que faz um a boa descrição do uso feito pelos recursos de comunicação pelos candidatos à presidência ao longo da história dos EUA. Fala sobre Andrew Jackson e o uso dos jornais e da expansão do sistema de correios, Franklin Roosevelt e o rádio, John F. Kennedy e a televisão.
Em outro artigo, Andrew Sullivan chama o estilo de Obama de política do Facebook. É algo a se pensar, quando um candidato a presidente consegue levantar US$30 milhões por mês, sendo 95% das doações na faixa dos US$200. Taí uma situação em que os grupos de interesse perdem força para a cidadão comum.
O que fica no ar são as reais perspectivas de manutenção dessa gestão bottom-up caso ele seja eleito. Na verdade, antes disso haverá todo o 2o round da campanha, o que em si já será um bom período de observação do desdobramento destas práticas.

Após a acirradíssima campanha interna, Hillary Clinton hoje reconheceu que a vaga é do Obama. Os rumores são que ela estaria trabalhando para obter a vaga de vice. O Obama anda dizendo que não tem pressa nessa decisão.

Nova etapa, será que o Obama trará outras surpresas para a campanha?

Na próxima sexta-feira, 06/06, o historiador Bóris Fausto estará conosco na escola Vera Cruz, para uma conversa com os alunos do Ensino Médio. O tema é: “Democracia no Brasil e nos Estados Unidos: trajetórias e desafios”. Será uma ótima oportunidade de conversar com um pesquisador que tem muito a dizer sobre a história de ambos os países, especialmente com os alunos aquecidos, após um trimestre discutindo a formação do Estado americano, e agora olhando para esse mesmo tema no Brasil. A conversa ocorrerá também numa semana decisiva para as prévias eleitorais dos EUA, pois as primárias do Partido Democrata terminarão na próxima 3a feira, dia 3. Vai ser uma grande oportunidade de ouvir sua análise diretamente, no calor da situação.

Del.icio.us

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Blog Stats

  • 148,710 hits